sábado, 26 de junho de 2010

Não há sensação...





Não há sensação mais catastrófica e simultaneamente libertadora do que acabar tudo para começar de novo.















Nenhum comentário: