domingo, 11 de julho de 2010

Se esticar o braço, .. (nina)



Se esticar o braço, toco-te.
E ao tocar-te fervo-me por dentro.
Mas não mostro NUNCA, ou quase nunca.
Permito-te apanhar-me em falso e nessas
poucas vezes, arrisco tudo. 
O mundo, o sonho e a dor depois...
mas tu estas mesmo aqui ao lado. 
No toque que aquece o frio, na ternura
primitiva das tuas mãos em meus seios.
Tão perto e tão demasiado longe de seres meu.


Nina

2 comentários:

Aline Sideris disse...

Lindo!!!

Me permita disse...

Oi, Nina!

Lindo poema! Li todos que não li desde a última vez que estive aqui! Todos lindos! O tempo não me deixa estar sempre por aqui... Mas, apesar das demoras, não deixode vir... Bjs